Um pequeno guia para Ayn Rand

Quatro textos para entender Milton Friedman
April 22, 2017
Reviving the Austrian Tradition
April 24, 2017

Um pequeno guia para Ayn Rand

Roberto Rachewsky | 2 de fevereiro de 2016

Foto por StefanoRR

Nada é dado ao homem na Terra. Tudo o que ele necessita tem que ser produzido. E é aqui que ele encara sua alternativa básica: ele pode sobreviver apenas de dois modos – pelo trabalho independente de sua própria mente ou como um parasita, alimentado pela mente dos outros. O criador origina. O parasita apropria-se. O criador encara a natureza sozinho. O parasita encara a natureza por um intermediário. A preocupação do criador é com a conquista da natureza. A preocupação do parasita é com a conquista dos homens.” – Excerto do discurso final de Howard Roark, protagonista do romance “The Fountainhead” (A Nascente), de Ayn Rand. Escrito em 1943.

Quem é Ayn Rand?

Ayn Rand nasceu em São Petersburgo, Rússia, em 1905, no seio de uma família judia de classe média. Sofreu todas as agruras impostas pela Revolução Bolchevique, tendo inclusive que fugir para a Criméia com a família após os bens que lhes pertenciam terem sido confiscados pelo governo comunista. Mesmo assim, formou-se em Filosofia e História.

Em 1926, estimulada pelos pais que temiam por sua integridade física, emigrou para os Estados Unidos, onde conseguiu empregar-se como roteirista na indústria cinematográfica de Hollywood. Tornou-se escritora, tendo sua obras-primas sido lançadas na Broadway e no cinema. Dois de seus livros são best-sellers ainda hoje. Um deles, A Revolta de Atlas foi considerado o mais influente depois da Bíblia, segundo uma pesquisa do Congresso Americano.

Leia também

Grande crítica da mentalidade anticapitalista e do comunismo, contribuiu para a Comissão do Congresso Americano que investigava as atividades do Partido Comunista nos Estados Unidos durante as décadas de 40 à 70. Além dos livros de ficção, todos romances, publicou diversos trabalhos em defesa do individualismo e do capitalismo. Criou uma escola filosófica completa e consistente com suas ideias, o Objetivismo, a qual chamou de uma filosofia para se viver na Terra. Faleceu em Nova Iorque, onde morava, em 1982, dois anos após ter-se tornado viúva de Frank O´Connor, ator cinematográfico, com o qual passou casada por mais de 50 anos.

Por que Ayn Rand importa? 

Ayn Rand é fundamental por ter sido a única autora a defender de forma inequívoca e incontestável os direitos individuais.  Embasa o direito à liberdade, à propriedade e à busca da felicidade puramente na realidade, ao defini-los como corolários da mais básica premissa que os suportam, a própria existência. A intelectual objetivista revigora e integra o pensamento aristotélico, dando-lhe forma e substância, justificando filosoficamente os princípios para que se possa viver plenamente num contexto social.

Se você pudesse ler apenas uma coisa de Ayn Rand

The Fountainhead (A Nascente). Apesar de não ser tão completo como A Revolta de Atlas, A Nascente trata, com maior ênfase, a questão moral que serve de fulcro para sua filosofia, o egoísmo racional. Em um ambiente de aparente livre-mercado, ela expõe as dificuldades para um indivíduo que, movido pelo auto interesse, busca atingir seus propósitos em uma sociedade cuja cultura é baseada no auto sacrifício, na inveja e no sentimento de culpa. O papel adequado do governo, as virtudes de um indivíduo ideal e heroico e os resultados do enfrentamento entre o bem e o mal, estão muito bem construídos nesta novela imperdível.

Disponível online

Em inglês, se consegue ter contato com o vasto material já publicado sobre o Objetivismo: O Ayn Rand Institute é a instituição que representa o legado da autora, dirigido por seu herdeiro Leonard Peikoff (www.ari.org e www.aynrand.org), The Objective Standard (www.theobjectivestandard.com), entre outros. Está disponível na web também, o “Ayn Rand Lexicon”, essencial coletânea editada por Harry Binswanger, que serve como glossário dos pensamentos objetivistas sobre os mais variados conceitos. Em português, a produção ainda é insipiente, mas várias iniciativas estão em andamento. Um exemplo é o site http://objetivista.com/. Em breve, os artigos e vídeos do Ayn Rand Institute estarão disponíveis em português.

Principais obras de Ayn Rand

  • Ficção

We The Living, o tema deste romance clássico é a luta do indivíduo contra o Estado. Retrata o impacto da Revolução Russa em três seres humanos que exigem o direito de viver suas próprias vidas e buscar sua própria felicidade. Conta a história de amor apaixonado de uma mulher jovem, que vive como uma fortaleza contra o mal corruptor de um estado totalitário.

Anthem, novela clássica que antecede suas obras primas. Trata-se de uma distopia onde os indivíduos são desprovidos de identidade, independência e de valores. É genial pois ela abole a palavra “Eu” do texto para mostrar a perda de privacidade e individualismo.

  • Não Ficção

Atlas Shrugged, é a grande obra magna de Ayn Rand, é um insuperável panorama da vida, com todos os caracteres humanos que habitam este complexo mundo em que vivemos. Apresenta na forma de romance toda sua filosofia em detalhes, expondo através de uma complexa, rica e misteriosa trama as causas e consequências da derrocada da moral, da política e da economia nos Estados Unidos em um futuro incerto. Atlas Shrugged foi publicado no Brasil inicialmente como Quem é John Galt? e mais recentemente com o título A Revolta de Atlas. É imperdível, árduo e inesquecível.

A Virtude do Egoísmo, coletânea de artigos de Ayn Rand e Nathaniel Branden, onde se destacam textos sobre os princípios do egoísmo racional e da moral objetivista. Descrição essencial sobre a natureza do governo e suas formas de financiamento voluntário. Abordagens sobre o racismo, entre outros temas importantes para o debate da liberdade e da vida em sociedade.

For The New Intelectual (Para um Novo Intelectual). Ayn Rand buscava reformular a cultura predominante oferecendo novas formulações para as questões morais e filosóficas.

Objetivismo, a Filosofia de Ayn Rand, escrito por Leonard Peikoff para expor de forma completa e minuciosa a filosofia objetivista. Leonard Peikoff, foi escolhido por Ayn Rand com herdeiro de seu legado e sucessor intelectual.


Pequenos Guias para Grandes Ideias é a mais nova série educacional do SFLB. Cada post é uma introdução a um importante pensador libertário, escrito para dar aos alunos com mentes abertas, um ponto de partida. Estes guias são entendidas como amostras, não resumos, das grandes mentes que contribuíram para as ideias de liberdade. Convidamos o objetivista Roberto Rachewsky para escrever esse pequeno guia. 

Este artigo não necessariamente representa a opinião do SFLB. O SFLB tem o compromisso de ampliar as discussões sobre a liberdade, representando uma miríade de opiniões. Se você é um estudante interessado em apresentar sua perspectiva neste blog, envie um email para [email protected] e [email protected]

Volte para o blog